Parque Ney Santos Arruda poderá ganhar pista de Bicicross

Federação Gaúcha da modalidade e prefeitura realizaram visita técnica ao espaço, localizado na Rua Capitão Leopoldo Heineck


0
Foto: Arquivo pessoal/ Paulo Daltoé

A prefeitura de Lajeado estuda a possibilidade de construir uma pista oficial de Bicicross, modalidade BMX, no complexo esportivo junto ao Parque Ney Santos Arruda, no Centro da cidade. Nesta semana, os secretários de Cultura, Esporte e Lazer, Carlos Reckziegel e do Planejamento, Urbanismo e Mobilidade, Cátia Regina Berteli, acompanhados do diretor da modalidade BMX da Federação Gaúcha de Bicicross, Paulo Ricardo Daltoé e do ex-presidente do Lajeado Moto Clube, Jairo Cardoso, o “Stampinha”, realizaram uma visita técnica ao terreno que poderá servir para a construção da pista, localizado na Rua Capitão Leopoldo Heineck, nos fundos do Colégio Presidente Castelo Branco.

Paulo Daltoé (E) e Jairo “Stampinha” (D) (Foto: Luís Fernando Wagner)

“Nós tínhamos uma pista atrás do Supermercado STR, onde eu praticava o esporte. A pista deu espaço a um estacionamento e nunca mais foi feito outra. Ter novamente uma pista de bicicross era um sonho antigo. É um esporte que ajuda na construção psicológica das crianças. Com nesse intuito, comecei a correr atrás disso. Diante das melhorias e a construção das quadras de esportes na Rua Décio Martins Costa, obras pelas quais a prefeitura está de parabéns, e com o apoio dos secretários Carlos e Cátia Regiona, acho que agora vamos concretizar este sonho”, comenta Stampinha.

Para diretor de BMX da Federação Gaúcha de Bicicross Paulo Daltoé, a pista de bicicross no local vai agregar mais uma variedade no complexo esportivo, que já conta com quadras de vôlei e pista de skate. “Fomos muito bem recebidos pela prefeitura. Será uma modalidade a mais, junto com a maravilhosa pista de skate construída aqui do lado. São modalidades irmãs por serem radicais. Acredito que a pista de bicicross, sem dúvida, vai agregar neste espaço”, argumenta o dirigente e ex-atleta da modalidade.

Obra depende de negociação com o Estado

De acordo com o secretário da Cultura, Esporte e Lazer, Carlos Reckziegel, a concretização da obra passa por uma negociação com o Governo do Estado, que é o proprietário do terreno pretendido. “Está tudo muito preliminar. Precisamos que eles (Federação Gaúcha de Bicicross) nos passem um esboço, para que a nossa Secretaria de Planejamento possa fazer um projeto. Só que antes disso, temos que saber se o estado libera a área. Tendo o aval do Estado, podemos começar a obra. O lado bom da execução é que podemos usar o maquinário da Secretaria de Obras, o que deixa o processo em tese, mais rápido, porque não requer licitação”, adianta Reckziegel.

Texto: Luís Fernando Wagner
noticias@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui